E-COMMERCE – sonho ou pesadelo ?

O comércio eletrônico deve atingir um volume de vendas de R$ 79,9 bilhões em 2019, conforme estimativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico.  As micro e pequenas empresas devem aumentar sua participação no faturamento, atingindo 29%. A participação dos marketplaces no faturamento do setor também deve registrar crescimento em 2019.

Conforme dados acima mencionados, é visível que o crescimento expressivo do Comércio Eletrônico ocorre devido à elevação da confiança do consumidor.
E pensando nos donos de micro e pequenos negócios que buscam se qualificar para atuar nesse segmento, a King Contabilidade apresenta 10 passos importantes para que o e-commerce não se transforme em um pesadelo. Acompanhe:

1.     Escolher o modelo de negócio: Loja virtual própria ou Marketplace? A loja virtual própria é exclusiva da sua marca. Já o Marketplace, funciona como um shopping virtual, onde várias lojas vendem produtos no mesmo lugar, geralmente de uma empresa conhecida, como Netshoes, Amaozn, Americanas.

2.     Faça a Gestão de estoque, com a adoção de uma plataforma que permita controle de materiais e produtos de forma automatizada, para não correr o risco de vender mais do que pode atender/produzir.

3.     Interaja com o cliente através de múltiplos canais, como “chatbot, call center, e-mail, redes sociais, whatsapp”, entre outros. O importante é que o usuário tenha a sua solicitação atendida da melhor forma e no menor tempo possível.

4.     Controle o fluxo de caixa: Controle de faturamento diário, contas a pagar e receber, lançamentos futuros e investimentos são informações essenciais. E devido à variedade das formas de pagamento, é imprescindível integrar os dados.

5.     Se utilize de estratégias para atrair clientes: os gestores do e-commerce devem dedicar parte do seu tempo pensando nas melhores formas de fazer publicidade. Por isso, é indicado adotar estratégias de marketing digital, como criar uma página sobre o negócio nas redes sociais e alimentá-la sempre.

6.     Invista em fotos de alta qualidade que valorizem todos os atributos do produto, para que o cliente tenha a sensação de que conhece aquilo de perto. Além do aspecto visual, é necessário criar descrições detalhadas, com informações técnicas, formas de uso, o que está incluso na compra, etc.

7.     Invista em logística: cumprir o prazo de entrega é importantíssimo! Mantenha sempre um controle do seu estoque e uma logística de ponta.

8.     Cuidado com fraudes! Nos estabelecimentos físicos e virtuais, a ocorrência de golpes é frequente. No e-commerce é necessário contratar os melhores serviços de segurança para garantir que os dados dos seus consumidores não sejam roubados. Já no Marketplace essa preocupação é da empresa que administra o shopping virtual.

9.     Agregue valor à sua marca. O reconhecimento da marca é conquistado através da credibilidade. Portanto, fique atento aos prazos de entrega, entregue o produto correto. Resolva equívocos com rapidez e mantenha um bom serviço de atendimento ao consumidor.

10.Norma ABNT NBR ISO 10008 e ao Decreto 7962, é necessário que o empresário fique atento à legislação do setor. A razão social da empresa e o número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) devem estar em local visível no site, e o cliente também precisa saber onde achar a empresa: coloque os seus endereços físico e eletrônico e outras informações que facilitem a localização e o contato com a loja.

 

Estáticas apontam que os brasileiros são o segundo povo do G20 (grupo formado pelos ministros de finanças e chefes dos bancos centrais das 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia) que mais investe na criação do próprio negócio.

“Vários erros ocorrem quando o assunto é a abertura de um negócio próprio, portanto sempre tenha em mente que não basta ter apenas a vontade de se tornar um empreendedor, é necessário se atentar aos detalhes do novo empreendimento, tornando o sonho em realidade e jamais em pesadelo”, comenta a consultora tributária, Elvira de Carvalho.