Elvira não é lenda é realidade!

Túnel do Tempo…

Em 1984, com 23 anos, Elvira Deonila de Carvalho ingressou na King Contabilidade, inicialmente no Departamento de Legalização.

No início de sua carreira, cursou Contabilidade. Não satisfeita, decidiu cursar Direito, quando passou por 5 anos de desafios, e em 1991 concluiu o curso.

Logo depois de formada, foi transferida para a Advocacia Hatiro Shimomoto, onde permaneceu por 6 anos. Após este período, retornou ao Departamento de Legalização, mas desta vez ocupando o cargo de Gerente, onde permaneceu por 23 anos.

Durante a entrevista, Elvira ressaltou a preocupação em dar detalhes da trajetória profissional, lembrando de um fato inusitado ocorrido há 10 anos. Elvira havia entrado em contato por telefone com a Receita Federal para agendar um atendimento no setor da Malha Fina. No dia seguinte, a RFB entrou em contato com a KING e informou que o atendimento seria transferido de local, não seria mais na Av. Prestes Maia, e sim na Av. Consolação, mantendo mesmo dia, horário e procurar o setor da Malha Fina. Recado dado, Elvira seguiu para RFB no dia, horário e local agendado. Chegando no local, aguardou sua vez de atendimento. Porém, ao ser chamada, o rapaz indagou se a Elvira havia agendado aquele atendimento, e imediatamente Elvira respondeu:

Sim, claro! Tanto que estava agendado na Prestes Maia e transferiram para Consolação, até o nome da atendente passaram.

O atendente da RFB achou estranho e indagou qual o nome da atendente? Elvira prontamente respondeu: – Maria Fina. O atendente não conteve o riso e disse a seguinte frase: – Esta danada da Malha Fina é tão ruim que até mudou de nome. Neste momento, Elvira se deu conta que tinha passado um verdadeiro “Mico”, e todos deram boas gargalhadas.

Em 2011, Elvira foi promovida como Assessora de Diretoria, e desde então são mais de 35 anos de trajetória na King Contabilidade e, com a certeza de que fez a escolha certa, declara: “Hoje, com 59 anos, tenho a satisfação de ser uma profissional realizada, afinal tive a sabedoria de escolher uma empresa que investe e respeita o seu maior capital – O colaborador”, comenta Elvira.

Elvira relata que tem uma posição muito bem definida na empresa em relação aos clientes, que define como as pessoas mais importante do negócio, merecendo todo respeito, atenção e cortesia. Já em relação aos clientes internos/colaboradores, diz o seguinte: A amizade no ambiente de trabalho propicia maior realização, tanto pessoal como profissional.

Como de costume, indagamos sobre suas preferências pessoais e tivemos 2 destaques para dois grupos: natureza e animais, sapatos e perfumes.

Impreterivelmente, todo final de semana Elvira abandona a capital e segue para sua chácara localizada em Capão Bonito, município do Estado de São Paulo, cidade conhecida pelo bolinho de frango e o delicioso “rojão”. O cheiro, a terra e as folhas das árvores que balançam com o vento proporcionam paz de espírito e recarregam as energias.

Já em relação aos sapatos e perfumes, Elvira afirma, rindo, que se trata de um carma.

Elvira de Carvalho

Dia 25 de Abril – Dia do Contabilista

O Presidente da FECONTESP – Federação dos Contabilistas do Estado de São Paulo, Manoel de Oliveira Maia, parabeniza os profissionais contábeis e ressalta a celeridade na atualização das informações desta classe contábil.

A comemoração do “Dia do Contabilista“ é justa porque os profissionais da contabilidade são aqueles que registram e dão suporte a todo empreendimento, portanto, são aqueles que trabalham pelo fortalecimento do produto interno bruto do Brasil.

O diferencial que o profissional contábil deve apresentar é estar atento as mudanças da nossa legislação tributária e financeira que se referem aos empreendedores. O profissional contábil tem a necessidade de aperfeiçoamento contínuo, assim como, aplicar na contabilidade as mudanças exigidas ou emanadas pelo fisco, com os recursos da tecnologia oriundas da informática.

Paixão é a razão de tudo

Sandra Regina Sardinha Pinheiro, paulistana de 45 anos, casada e mãe da Sara, carrega no sangue o DNA pela dança. Sandra é a sétima colaborada que participa da coluna “Com quantos talentos se faz o sucesso”, acompanhe sua trajetória na King.

Sandra ingressou na empresa no ano de 2001 como auxiliar de escritório na King Imóveis, permaneceu neste cargo até 2003, período em que surgiu a oportunidade de um trabalho voluntário no departamento contábil da King Contabilidade. Neste momento decidiu voltar a estudar e imediatamente iniciou um curso básico contábil.

Em uma breve conversa com o diretor, Márcio Shimomoto, indagou sobre a possibilidade de estagiar no Departamento Contábil, e para sua surpresa, conquistou a vaga, mediante o compromisso de cursar o Técnico Contábil. “E aí começou minha história com a King Contabilidade. Em março de 2003 fazia parte do quadro de colaboradores do Departamento Contábil sobre o comando da gerente Neusa, pessoa por quem tenho extrema gratidão, pois muito colaborou para meu crescimento”, comenta Sandra.

No ano seguinte, iniciou o curso Técnico Contábil, quando foi surpreendida com uma gravidez, realizando-se pessoal e profissionalmente. Em 2005 conquistou a graduação de técnica contábil e deu prosseguimento à sua carreira dentro da empresa.

Em 2013 ocorreu seu desligamento da King, e depois de uma semana estava recolocada no mercado de trabalho. Neste momento tomou algumas decisões que garantiriam o seu futuro, inclusive iniciou sua graduação em Ciências Contábeis. Foi um período desafiador, pois desempenhava 3 funções, mãe, estudante e profissional.

Mas todo sacrifício foi reconhecido, e em 2016 recebeu um convite da Gerente Neusa para retornar ao Departamento Contábil da king Contabilidade.

“Sabe aquele momento que parece o túnel do tempo? Lembrei dos 12 anos que estive na empresa, do incentivo que recebi da King para aprimorar meus conhecimentos, não tive dúvidas, o meu “SIM” foi imediato, meu nome retornou para o quadro de colaboradores da King Contabilidade”, comenta Sandra Sardinha.

Atualmente, ocupa o cargo de assistente contábil e afirma que sem atualização constante não existe crescimento, este é um diferencial da King Contabilidade, pois proporciona qualificação para todos os colaboradores.

Perguntamos para Sandra – O que elencaria na sua vida como uma paixão?

Imediatamente respondeu: família, trabalho e a dança. Em relação á dança, a vida não possibilitou a prática desta arte em seu cotidiano. Porém, hoje a sua realização ocorre através de sua filha, que brilha nos palcos.

“A emoção de vê-la no palco é inexplicável, pois talento e beleza estão presentes em cada apresentação, me realizo através do sucesso da Sara. Quando me perguntam se desejo voltar a dançar, meu coração bate mais forte e sinto meus pés saírem do chão, afinal uma paixão não pode ser sufocada, deve ser vivida”, afirma Sandra Sardinha

Benfeitorias em imóveis devem ser declaradas para o Leão?

Joaquim Adir, subsecretário e auditor da Receita Federal do Brasil (RFB), esclarece esta dúvida.

Os contribuintes devem informar para a RFB o valor de compra na ocasião da aquisição do imóvel. Supondo que este imóvel passou por uma reforma, como por exemplo: troca de pisos, pintura, troca de portas e janelas, este tipo de reforma não agrega ao valor do imóvel, portanto deve se manter o valor da ocasião da aquisição. Porém se o imóvel sofrer uma grande reforma, por exemplo, aumentar o número de cômodos, construir edículas, é possível mudar o valor deste imóvel da seguinte maneira:

Valor de aquisição do imóvel R$ 50 mil + Despesas da reforma R$ 20mil = R$ 70mil valor atual do imóvel.

É importante esclarecer que é possível declarar as benfeitorias na declaração de IR, na ficha Bens e Direitos, no campo de código 17 – Benfeitorias. Lembrando que é necessário guardar os recibos destas reformas durante 5 anos, em qualquer situação.

E no caso de venda desse imóvel?

O Ganho de Capital (lucro imobiliário) é a diferença entre o valor pago pelo imóvel (acrescido das benfeitorias, caso haja) e o valor pelo qual está sendo vendido. Exemplo: o imóvel foi adquirido por 300 mil reais em 2007 e o vendeu neste ano, em 2019, por 550 mil reais. Haverá um Ganho de Capital de 250 mil reais. Hoje, a Lei estipula tributação de no mínimo 15% sobre esse Ganho de Capital na compra e venda de imóveis, com isenção em alguns casos.


Veja os casos que os contribuintes estão isentos de recolher este imposto:

  • Indenização da terra nua por desapropriação para fins de reforma agrária, conforme o disposto no § 5º do art. 184 da Constituição Federal de 1988.
  • Contribuintes que venderam imóvel único por um valor inferior a R$ 440 mil estão isentos do pagamento de imposto sobre o Ganho de Capital, desde que não tenham efetuado, nos cinco anos anteriores, venda de outro imóvel a qualquer título, tributada ou não.
  • Também estão isentos do pagamento de imposto sobre Ganho de Capital a venda dos imóveis que foram adquiridos até 1969. O ganho de capital auferido nos casos de permuta de unidades imobiliárias em que não é feito pagamento de diferença em dinheiro também está isento de IR.
  • Com a edição da MP do Bem, em 2005, o ganho de capital obtido com a venda de um imóvel que for utilizado para a compra de outro imóvel residencial, desde que essa compra aconteça em até 180 dias da venda, também está isento do recolhimento de Imposto de Renda.

Joaquim Adir, subsecretário e auditor da Receita Federal do Brasil (RFB)

Mês do Contabilista

No decorrer deste mês de abril, a King Contabilidade abre espaço para depoimentos de importantes entidades homenageando a classe contábil.

Representando a Casa dos Contabilistas, a presidente da AESCON, Ana Corsino Picão, fala sobre a importância desta classe profissional nos dias atuais.

A contabilidade passou por profundas modificações e atualmente é peça indispensável na estratégia das empresas. Requer grandes responsabilidades e muitas habilidades, pois o profissional contábil ocupa um espaço diferenciado no mercado de trabalho.

“Ao longo da minha carreira percebo as mudanças de comportamento da sociedade em relação ao profissional. Estamos em lugar de destaque juntos às corporações. Isso me enche de orgulho e faz com que eu tenha a certeza de ter escolhido o caminho certo. Sou uma contadora apaixonada pela profissão”, afirma presidente da Casa dos Contabilistas.

Trabalhar em prol da profissão, junto às entidades de classe, faz toda diferença. O tempo doado sempre traz muito retorno, principalmente por encontrar profissionais que trabalham pelas mesmas causas.

Não somos concorrentes, somos parceiros que buscam o mesmo ideal: “a valorização da classe contábil”.

Site: www.casadocontabilista.org.br

Face: Casa do Contabilista de Ribeirão Preto

https://www.facebook.com/casadocontabilistarp/