Bruna Pires de Carvalho entrou na King 2014 e, em 6 anos, já conquistou 9 promoções. Conheça a trajetória da Bruna na King.

A paulistana Bruna Pires de Carvalho, 27 anos, solteira e formada em ciências contábeis, conta sua trajetória na King Contabilidade.

 

Quando pensou em escolher o curso que faria na faculdade, ficou na dúvida entre a contabilidade e o Direito, foi pesquisar sobre as carreiras, mas viu no meio contábil mais possibilidades, e assim abraçou a profissão. No ano de 2016 concluiu seu curso de Ciências Contábeis na Universidade Brasil – ressalta extrema gratidão por seus pais que deram muito apoio para conquistar este objetivo.

 

Sua vida profissional, pode-se dizer, começou na King. Antes, trabalhava em um escritório na área fiscal, mas em nada ajudava em seu aprendizado, então pediu demissão e não demorou para a Andressa, do RH da King, ligar e perguntar se ela ainda tinha interesse em uma vaga no departamento contábil. De pronto aceitou, acreditou na oportunidade e em seu potencial.

 

Bruna lembra:

Eu entrei na King em 2014 como auxiliar 1, sem experiência nenhuma, e com o passar do tempo, fui evoluindo no programa de carreira da King”. Em 6 anos já conquistei 9 promoções”,

conta com orgulho, atualmente ocupa o cargo de assistente contábil. É muito feliz por sua trajetória, e em 2020 foi homenageada com um prêmio de destaque do departamento, o que a faz pensar estar no caminho certo, fazendo sua história e contribuindo no crescimento dos colegas de trabalho. Destaca alguns nomes que contribuíram para seu crescimento profissional, Neusa, Cristiane e Valéria.

 

No ano passado, devido à pandemia que afetou todo mundo, a vida de Bruna também sofreu alterações, tanto na questão pessoal quanto profissional. Sempre indagamos a questão do hobby, e diante do novo cenário a Bruna teve que se adequar ao “Novo Normal”. Sair com amigos, bares, cinema, festas, isso teve que ser subtraído do seu lazer, e sua programação mudou: “Hoje em dia é ficar mais em casa, é mais Netflix e viagens curtinhas, tudo isso me trouxe mais calma e percebi que a vida é simples”, comenta Bruna.

 

Para o futuro, Bruna pensa em ter sua família e o seu próprio escritório. Talvez sair do país por um ano ou dois, ser extremamente bem sucedida pessoalmente e profissionalmente, e por fim ser uma pessoa melhor do que é hoje.

 

Eu não escolhi a King… a King que me escolheu!

Bruna Pires de Carvalho

Auxílio e Benefício Emergenciais – como declarar

É chegado o tempo de fazer a declaração de imposto de renda, que vai até o dia 30 de abril de 2021 as 23h59′. Como todo ano, surgem dúvidas a respeito de como declarar determinadas situações e 2020 não foi diferente, uma série de eventos que deixam dúvidas na hora de declarar, senão vejamos.

 

Foram dois auxílios emergenciais pagos: auxílio emergencial e auxílio emergencial residual e mais o benefício emergencial dentro do programa do Governo Federal de preservação do emprego e da renda.

 

Auxílio Emergencial: O auxílio emergencial foi um reforço financeiro concedido aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados, que no início da pandemia foram pegos de surpresa e tiveram suas rendas comprometidas. Foi o chamado auxílio de R$ 600,00 (em alguns casos de mulheres chefes de família, responsáveis pelo sustento da casa, esse valor era de R$ 1.200,00).

 

Auxílio Emergencial residual: Este auxílio complementou o acima, no período posterior, porém, com pagamentos extras de R$ 300,00, com regras diferenciadas em relação ao primeiro auxílio e mais rígidas.

 

COMO DECLARAR ESTES DOIS AUXÍLIOS: Pelas regras da declaração do imposto de renda deste ano de 2021, quem recebeu durante o ano de 2020 rendimentos superiores a R$ 22.847,76, somando-se tanto o auxílio emergencial quanto o residual, terá que declarar e, além disso, terá que devolver o auxílio emergencial (o residual não será devolvido).

Quem recebeu auxílio emergencial, somado com os demais rendimentos, sendo igual ou menor que R$ 22.847,76 não precisará declarar imposto de renda.

 

Benefício emergencial de preservação do emprego e da renda: Criado pelo Governo Federal naqueles casos em que foi possível ao empregador fazer um acordo com os trabalhadores para redução da jornada de trabalho e de salário ou suspensão temporária do contrato de trabalho, tem gerado uma série de dúvidas na hora de declarar. E aqui precisamos ser bastante didáticos em função da confusão que existe em torno do assunto.

 

A lei 14.720/2020 instituiu esse programa (BEM), aplicado durante o estado de calamidade decretado em 2020 e seu enfrentamento. Para entendermos como declarar esse benefício, precisamos entender que:

1.      Na redução da jornada de trabalho, haverá redução proporcional de salário, sendo que o governo complementa a diferença tomando por base o seguro-desemprego para calcular essa diferença

2.      Na suspensão do contrato de trabalho, não haverá pagamento de salário pelo empregador, porém, o governo federal pagará o benefício, também tendo por base o seguro-desemprego.

 

Note que independentemente da origem do pagamento, do empregador ou do Governo, esses pagamentos deverão ser considerados como rendimentos tributáveis (ficha), como salários que foram pagos.

 

Atenção, existe na lei mencionada acima, previsão para um pagamento chamado “ajuda compensatória” em dois momentos (artigos) da lei:

 

No § 5º, do art. 8º da lei, determina que empresas que tiverem auferido, no ano calendário de 2019, receita bruta superior a R$ 4.800.000,00 somente poderá suspender o contrato de trabalho dos seus trabalhadores mediante o pagamento de ajuda compensatória mensal de pelo menos 30% do valor do salário do empregado. Caso haja esse pagamento, o mesmo terá natureza indenizatória, por força da lei, o que significa dizer que essa parcela será isenta do imposto de renda, devendo ser declarado na ficha “Rendimentos Isentos ou não tributáveis – item 26” com o CNPJ da empresa (fonte pagadora). Importante que na descrição desse item 26 da ficha mencionar tratar-se de ajuda compensatória, para identificação clara da Receita Federal.

 

O art. 9º da mesma lei, diz que o empregador poderá, em caso de suspensão do contrato de trabalho, pagar ajuda compensatória, que se pago, deverá também ser declarado como “Rendimentos Isentos ou não tributáveis – item 26” com o CNPJ da empresa.

 

A parte paga pelo Governo Federal, a título de Benefício Emergencial, por conta da redução de jornada ou suspensão do contrato de trabalho, deve ser declarado como Rendimentos Tributáveis na ficha “Rendimentos Tributáveis” recebidos da pessoa jurídica, informando como fonte pagadora o CNPJ 00.394.460/0572-59.

 

RESUMINDO

 

RECEBIDO Referência DECLARAR NA FICHA
Auxílio Emergencial pago pelo governo R$ 600,00/R$ 1.200,00 Rendimentos Tributáveis
Auxílio Emergencial Residual pelo governo R$ 300,00 Rendimentos Tributáveis
Redução de jornada -valor proporcional pago pela empresa   Rendimentos Tributáveis
Benefício pago pelo Governo em função da redução da jornada   Rendimentos Tributáveis
Suspensão do contrato – sem pagamento pela empresa n/a n/a

 

Benefício pago pelo governo em função da suspensão do contrato   Rendimentos Tributáveis
Ajuda compensatória se pago pela empresa em caso de suspensão do contrato de trabalho   Rendimentos Isentos ou não tributáveis

Guia Documentação – IRPF 2021

Já foi dada a largada para a temporada do leão, e todos os anos, nós da King Contabilidade reforçamos aos nossos clientes a necessidade de apresentarem a documentação com antecedência, desta forma aceleramos a execução da DIRPF, pois ocorrendo a falta de algum comprovante, haverá mais tempo para correr atrás da papelada antes do término do prazo de entrega, no final de abril.

Lembrando que o programa oficial para preenchimento da declaração foi disponibilizado pela Receita Federal na última semana de fevereiro.

Mãos à obra! Vamos te ajudar a separar a documentação:

Primeiro passo é o CPF dos dependentes  

Caso você tenha dependentes ou alimentandos, precisará informar os CPFs de todos eles na declaração, inclusive das crianças. Bebês nascidos a partir de 2017 possuem o número do CPF informado na Certidão de Nascimento. Caso seus dependentes ainda não possuam o CPF, será necessário solicitar o documento diretamente no site da Receita Federal ou em qualquer agência do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal ou dos Correios.

Peça o informe de rendimentos na empresa 

Este documento relata todos seus ganhos no ano de 2020, além de informar gastos relativos a planos de saúde ou plano de previdência. Não se esqueça dos informes de rendimentos dos dependentes, caso eles trabalhem.

E mesmo que tenha se desligado de alguma empresa em 2020, pegue o informe na antiga empresa. Junte toda a papelada da rescisão, os comprovantes de recebimento do FGTS e do seguro-desemprego. O RH da antiga empresa deverá enviar todos estes documentos.

Aposentado, fique de olho no informe do INSS  

Se recebe aposentadoria ou pensão pelo INSS, não esqueça de baixar o comprovante dos rendimentos no site da Previdência a partir do fim de fevereiro.

Bancos

Esta é uma etapa importante, afinal todas movimentação financeira como saldos em conta corrente, poupança e investimentos deverão ser relatos para a RFB.

Este documento é disponibilizado pela internet a partir da segunda quinzena de fevereiro. Investidores no Tesouro Direto ou em ações deverão solicitar o informe de rendimentos nos bancos ou corretoras. Com relação ao plano de previdência privada (PGBL/VGBL) ou fundo de pensão, a instituição que administra o plano também deverá enviar um comprovante com os valores pagos ou recebidos no ano passado.

Médicos e Dentistas 

Diante da pandemia que assolou o mundo, ocorreram muitas despesas com a saúde, estas deverão ser detalhadamente informadas ao Fisco, afinal serão deduzidas integralmente no Imposto de Renda,

Alertamos que estes comprovantes deverão ser preservados por no mínimo cinco anos, caso a Receita Federal resolva comprovar a veracidade das informações. Podem ser deduzidas as despesas com médicos, dentistas e outros profissionais de saúde, exames, internações e planos de saúde.

Importante que estes comprovantes de pagamento tenham discriminados o nome do prestador de serviço, endereço, o serviço prestado, valor, CPF ou CNPJ de quem prestou o serviço, além do seu nome completo e CPF. Caso o serviço tenha sido feito ao seu dependente ou alimentando, o nome e CPF dele devem aparecer no documento.

Com relação aos reembolsos de consultas e exames feitos pelo plano de saúde, esses valores devem ser deduzidos das despesas médicas efetivamente pagas por você. Apenas a diferença entre o valor que você pagou e o que foi reembolsado pelo plano pode ser usado para dedução do Imposto de Renda. Peça um informe detalhado à operadora do plano

Educação  

A Receita Federal só aceita a dedução de despesas com educação de escolas de ensino infantil (creches, pré-escolas), fundamental, médio, superior, pós-graduação ou curso técnico.

Comprou ou vendeu imóvel ou carro?  

Neste caso é necessário o contrato, escritura, nota fiscal ou recibo e anote as informações principais, como nome e CPF/CNPJ de quem comprou ou vendeu e se a transação foi paga à vista, a prazo ou financiado. No caso de financiamento, anote também o nome banco, número do contrato, o montante financiado, número e valor das prestações, além do valor de entrada. Todos esses detalhes deverão ser descritos na declaração de bens.

Atenção: caso a venda de um bem tenha gerado lucro, por exemplo, vendeu um imóvel por 200 mil e na ocasião da aquisição pagou 100 mil, tendo um lucro de 100 mil na venda desse imóvel, houve ganho de capital, isto obriga ao recolhimento de imposto. Caso não tenha pago o mesmo no mês seguinte da venda, certamente está devendo para RFB. Mas há algumas exceções que isenta o contribuinte, como ter usado todo o dinheiro da venda de um imóvel residencial para compra de outro imóvel residencial no prazo de 180 dias.

Alugueis 

Deve recolher mensalmente o carnê-leão: Trabalhadores autônomos e as pessoas que recebem outras fontes de renda, como aluguel e pensão alimentícia.

Consórcio, empréstimos, heranças, doações e pensões  

Se realizou alguma dessas operações no ano passado, organize os documentos para agilizar o preenchimento da declaração do IR 2021.

Se precisar de ajuda com a sua declaração, acesse este link para falar direto com nossos especialistas

Alessandra Rocha, especialista em Imposto de Renda e gerente de RH da King,