“Com quantos talentos se faz o sucesso” de maio traz o Danillo Ramos de Souza, auxiliar de logística na King Contabilidade

Danillo Ramos de Souza, 27, paulistano da zona norte de São Paulo, filho da Deise Ramos de Souza e do Valdemir Ferreira de Souza, e noivo da Giuliana Rossin.

O colaborador Danillo conta que trabalhou durante 2 anos e 7 meses em uma empresa de telemarketing, e por conta da falência desta empresa ficou desempregado alguns meses, e graças a indicação da colaboradora Fernanda Pires faz parte do atual quadro de colaboradores da King Contabilidade, e tem a honra de participar da coluna “Com quantos talentos se faz o sucesso”

Sua história na King começou em 06/04/2016 quando ingressou no departamento de logística na função de boy interno, auxiliando na movimentação de documentos. Neste momento teve um grande aprendizado, afinal conheceu a empresa em sua totalidade.

No decorrer dos primeiros 10 meses de trabalho, Danillo foi surpreendido com uma promoção, que se deu em 01/02/2017, assumindo o cargo de auxiliar de escritório, oportunidade de novos aprendizados, além do contato com os clientes internos e externos da King. Em tão pouco tempo de empresa já pôde constatar que seu engajamento foi reconhecido prontamente.

E seu crescimento profissional não parou por aí, em 01/11/18 ganhou uma nova promoção para o cargo de auxiliar de logística, cargo atual, ressalta que tal promoção proporcionou um maior conhecimento da área e agregou mais experiências.

Gratidão

Kazu Hasegawa tem grande responsabilidade na minha trajetória profissional, sou grato por acreditar no meu potencial, afinal não tinha o mínimo de experiência nesta área, tanto que na minha primeira entrevista minhas mãos suavam, minhas pernas tremiam, puro nervosismo durante o processo, mas consegui a vaga. Conheci inúmeras pessoas especiais e maravilhosas que com certeza levarei para a vida, comenta o colaborador Danilo Ramos.

Hobbies

Adora assistir filmes e séries:São as nossas escolhas as que melhor definem o que somos, muito mais que nossas habilidades, sabe qual seu filme predileto? Harry Potter.

Além da paixão por filmes e series, aprecia uma boa leitura e também dedica um tempo para jogar vídeo game, mas antes faz uma parada no fogão para aprimorar seus dons culinários. E tudo isso ao som de uma boa música, destaca como trilha sonora de sua vidaDesejo a você o que há de melhor a minha companhia pra não se sentir só, Meu Abrigo – Melim

Pandemia

Foram diversos desafios, despertei sentimentos adormecidos, aprendi a dar carinho e marcar presença na vida das pessoas que amo, de forma virtual. O novo normal nos inseriu em novas estratégias de trabalho, além da vida pessoal. Agradeço minha noiva, Giuliana, meu alicerce em todos os momentos, e claro a minha família.

Futuro

No âmbito profissional desejo agregar conhecimento e ajudar as pessoas que passam pelo meu caminho, afinal um profissional qualificado é aquele que aceita mudanças, cria conceitos e crescediante das adversidades. Na vida pessoal procuro ser melhor a cada dia, afinal o céu é o limite.

 

Danillo Ramos de Souza

COMO DEVE SER DECLARADA A PREVIDÊNCIA PRIVADA PGBL e VGBL NA DECLARAÇÃO DE 2021

As pessoas que durante o ano de 2020 fizeram aportes em previdência privada ou realizaram resgates destes planos precisam informar estas ocorrências na declaração de Imposto de Renda a ser entregue de 01 de março a 31 de maio de 2021.

Para isso o declarante deve ficar atento às observações abaixo, tendo em vista que as informações a serem prestadas à Receita Federal varia, pois cada plano tem uma regra diferente.

 

PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre)

Os aportes realizados em previdência privada do tipo PGBL são dedutíveis da base de cálculo do imposto de renda  até o limite de 12% da renda bruta tributável no ano. Mas essa dedução só pode ser efetuada se o declarante optar pela declaração pelo modelo completo.

Vale observar que o rendimento decorrente do PGBL não está isento de importo de renda, pois por ocasião do resgate, o tributo incidirá não apenas sobre os ganhos acumulados, mas também sobre todo o dinheiro aplicado no plano. Independentemente de registrar ganhos ou perdas, ou seja, sobre todo o valor resgatado.

A previdência privada  PGBL deve ser informada na ficha “Pagamentos Efetuados” e escolher a opção “36 – Previdência Complementar”.

Nesta fica deve ser informada a opção “Titular” ou “Dependente” e preencher os seguintes campos, conforme o comprovante enviado pela entidade de previdência complementar:

  • Nome da entidade de previdência complementar;
  • CNPJ da entidade de previdência complementar;
  • Valor pago (em reais): montante dos aportes feito durante o ano de 2020.

 

VGBL ((Vida Gerador de Benefício Livre)

Vale salientar que apenas os planos de previdência PGBL podem ser deduzidos do imposto de renda, o VGBL é enquadrado como seguro e por isso não pode ser deduzido do IR.

Os aportes realizados durante 2020 em previdência privada do tipo VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), diferentemente do PGLB, devem ser informados na ficha “Bens e Direitos”,  opção “97 – VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre”.

Nesta ficha devem ser informados, no campo “Discriminação”, o nome do plano, conforme indicado pela seguradora, a Instituição financeira (seguradora ou entidade de previdência complementar) na qual você efetuou a aplicação,  o CNPJ da instituição financeira e os valores nos campos “Situação em 31/12/2019” e “Situação em 31/12/2020”.

Deve ser informado apenas o valor dos depósitos, sem incluir o valor relativo aos rendimentos.

 

PGBL/VGBL (Resgates)

A informação dos resgates de planos de previdência privada PGBL e VGBL depende do regime de tributação: progressivo ou regressivo.

Se o declarante optou pela tabela regressiva, terá alíquotas que variam de 35% a 10%, diminuindo com o tempo de acordo com o tempo que o dinheiro permaneceu investido.

Se a opção foi pela tributação progressiva compensável, os resgates sofrem a incidência de IR na fonte feita com base na alíquota única de 15%, de forma antecipada, com posterior ajuste na declaração anual de Imposto de Renda.

No recebimento do rendimento, a incidência de Imposto de Renda é feita de acordo com a Tabela Progressiva vigente à época do recebimento. No caso de resgates dos Planos tradicionais, a incidência de IR na fonte, feita com base na alíquota única de 15%, não se aplica, mas obedece às alíquotas da tabela progressiva vigente.

No caso de tributação regressivo definitiva a incidência do imposto de renda ocorre de forma definitiva e exclusiva na fonte, no resgate ou no recebimento de renda, sendo variável, começando com alíquota de 35%, com redução de 5% a cada 2 anos, até atingir 10% para prazos acima de 10 anos.

Se o declarante houver resgatado a previdência privada no regime regressivo de tributação em 2020, o valor deverá ser indicado com o código 12 (Outros) na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”.

No caso de tributação no regime progressivo, o imposto de renda retido na fonte pode ser compensado ou restituído.

Para declarar os resgates de planos de previdência privada VGBL ou PGBL o declarante deve acessar a ficha “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica” e informar:

Nome da fonte pagadora (seguradora ou entidade de previdência complementar);

  • CNPJ da fonte pagadora;
  • Rendimentos recebidos;
  • Imposto retido na fonte.

Por fim, vale salientar que devem ser informados todos os rendimentos tributáveis decorrentes de previdência complementar pelo titular da declaração e pelos dependentes, mesmo que esses rendimentos não tenham sofrido tributação na fonte por estarem dentro do limite anual de isenção de R$ 28.559,70 (o mesmo do ano passado), ou ainda que os dependentes beneficiários dos rendimentos sejam menores de idade.