Por que os Humildes Vencem? Orientações do Mentor (241)

Há frases conhecidas e sempre repetidas por todos. Por exemplo: “Os humildes serão exaltados” e “Os exaltados serão humilhados”. Os Humildes vencem!

Por que os humildes são sempre mais aceitos? Vamos olhar o caso do atleta olímpico Vanderlei Cordeiro de Lima, que, mesmo sendo barrado por um irlandês quando estava liderando uma maratona, agiu com paciência, humildade, não xingou, não brigou, não agrediu o intruso que o prejudicou e o impediu de ganhar a medalha olímpica de ouro. Ele apenas prosseguiu e, mesmo com a interrupção, obteve a medalha de bronze.

O mundo inteiro acompanhou o incidente pela TV. Vanderlei foi exaltado pelo presidente do Brasil. Ganhou fama mundial, foi homenageado em vários países e recebeu convites e prêmios.
Se ele tivesse agido com violência, teria sido condenado pela atitude. No entanto, agiu com humildade e determinação de concluir a prova.

Esse é apenas um exemplo, mas quantos outros casos são conhecidos nas salas de aula, pelas atitudes dos alunos e de professores?
Nas empresas, por vendedores, gerentes, funcionários e diretores? No meio artístico, na sociedade, no comércio, na indústria, na política, no governo… Se existem vencedores e vencidos, ganhadores e perdedores, sucessos e fracassos, o próspero e o escasso, existem os humildes e os exaltados.

Isso acontece com todos, acontece com cada um de nós. Uma das coisas mais difíceis é reconhecer humildemente um erro. A maioria das pessoas não assume seu erro. Procuram se justificar, se defender, mas não assumem o erro cometido. Há uma frase que diz: “O maior defeito é não reconhecer o seu próprio defeito”. Assumir um erro ou defeito, pedindo desculpas, perdão e prometer não voltar a cometer o erro pode evitar discussões, atritos e até condenações.

Todos temos defeitos e erramos. O que falta é humildade para assumir. Todos nós consideramos dignas as pessoas que agem com humildade. Sejamos mais dóceis e humildes. Assim, vamos ser estimados e queridos. Teremos sempre por perto aqueles que nos protegem, nos orientam e nos guiam. Eis aí uma das chaves do progresso.

Memórias de Hatiro Shimomoto